Os textos deste Blog foram extraídos dos livros de Horácio Netho: "COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais"

"VIA CORAÇÃO, Caminhos da Transformação" - "SUTRAS, Uma Vida Melhor" - "VIA TERRA, Caminhos da Luz"


sábado, 12 de agosto de 2017

CAMINHOS RELIGIOSOS e INSTRUÇÕES TRANSCENDENTAIS





“Nesta vastidão da vida cósmica, há diferentes dimensões existenciais onde cada uma delas cumpre os seus propósitos. É sabido, através dos ensinamentos espirituais, que a consciência disponível ao ser humano da Terra e que lhe transmite a Unidade de toda esta Rede Interdependente do Cosmos é acessada quando este ser humano consegue se sintonizar com as realidades da oitava dimensão. Desta forma, podemos afirmar de maneira simplificada, que o despertar da consciência humana para as ‘verdades da oitava dimensão’ é o portal que conecta este homem à experiência consciente com o seu próprio Deus. Aqui, entra então um tema delicado que poderia ser observado com mais prudência e sabedoria pelos homens da Terra, o tema das religiões com as suas diferentes formas de apresentações externas. As necessidades de sistemas religiosos formais em um planeta como a Terra é justificável, pois a própria consciência que o planeta está irradiando atualmente para o seu Reino Humano ainda se encontra numa dimensão separatista, abaixo da oitava dimensão [...] Devemos buscar sempre uma consciência mais verdadeira sobre os diversos elementos que compõem as nossas experiências existenciais em um planeta como este. A Terra nos oferece uma diversidade heterogênea de manifestações artísticas e culturais que podem em muito dificultar as nossas investigações, análises e sínteses necessárias para que alcancemos em nós mesmos as nossas sintonias com a oitava dimensão de Unidade para com a Fonte. Até mesmo em uma única nação deste planeta, ou numa única cidade desta mesma nação, podemos nos deparar com dezenas de práticas religiosas até mesmo contraditórias em seus sistemas de crenças. Basta que façamos uma pequena pesquisa distanciada e compromissada com alguma verdade maior que possa estar sustentando todas estas experiências para que a reconheçamos como reais. Aqueles que já investiram numa pesquisa sobre a estrutura de apresentação da Fraternidade Branca da Terra, encontraram nela uma possibilidade de realizar alguma síntese sobre estes diversos caminhos religiosos ainda separatistas e existentes sobre o planeta. É que os grandes mestres que serviram ou ainda servem como exemplos de sustentação principal para a maioria destas grandes religiões (Cristianismo, Hinduismo, Budismo, Judaismo, Islamismo, etc.) são encontrados como ‘Agentes Celestiais’ dos propósitos desta Fraternidade Branca. Desta forma, conseguimos associar em união numa mesma direção de caminho ou seguindo os mesmos propósitos de verdades, seres que ainda são apresentados separadamente em algumas religiões externas da Terra como Jesus, Gautama, Abraão, Maomé, Krishna, Zoroastro, Lao Tsé e tantos outros que por muitas vezes estiveram presentes entre nós, iluminando os nossos caminhos. A proteção das diferentes expressões culturais das diversas sociedades em suas heterogeneidades sobre a Terra, tem sido de grande valor para que se consiga uma condição de aceitação destas diferenças e os homens possam desenvolver alguma compaixão uns pelos outros.”    (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais”,págs 185 a 187)

                                                                                                                                   
Declaração Universal dos Direitos Humanos (ONU), Art. XVIII
Toda pessoa tem o direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar esta religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular. 
Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, Art. 5º inciso VI
É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias. 
Programa Nacional dos Direitos Humanos (Min. da Justiça do Brasil), proposta 113
Incentivar o diálogo entre movimentos religiosos, para a construção de uma sociedade pluralista com base no reconhecimento e no respeito às diferenças de crença e culto.



“Sobre as religiões terrenas, sabemos que elas surgem, principal­mente, através dos reflexos de seres que foram exemplos de condutas superiores rumo ao mundo dos céus. Neste ínterim, temos Abraão, Moisés, Jesus, Gautama e Krishna como pilares das principais religiões que, atualmente, veiculam pelas experiências desta humanidade plane­tária. Abriremos aqui um parêntese para citar alguns outros seres, além destes, que ficaram à parte das instituições formais religiosas, mas que demonstraram ter bastante intimidade e relacionamentos sinceros com as verdades dos céus. Apolônio de Tiana, Saint. Germain e os inúmeros mestres indianos como Kuppuswami Iyer (Swami Sivananda), Sathyara­ju (Shivabalayogi), Sri Ramakrishna, Venkataraman (Ramana Mahar­shi), Mukunda Lal Ghosh (Paramahansa Yogananda), Merwan Sheriar Irani (Meher Baba) e Satyanarayana (Sathya Sai Baba) nos servem de exemplos e referências de seres que vivenciaram o mundo dos céus, pa­ralelamente aos caminhos religiosos formais. Precisamos estar atentos e investigar, com bastante cautela, as in­tenções iniciais que originaram as formalizações das estruturas religiosas e os seus vários desdobramentos. Há de se convir que, atualmente, en­contramos diversas linhas diferentes de se apresentar os ensinamentos, supostamente, advindos dos mestres Abraão, Moisés, Jesus, Gautama e Krishna, por exemplo. Uso o ‘supostamente’, pois é sensível que os se­res humanos terrenos distorçam as verdades superiores, em benefício dos seus próprios desejos egoístas e mundanos. Desta forma, temos inú­meras manifestações de Cristianismos, de Budismos, de Islamismos, de Hinduísmos, de Judaísmos, etc.”   (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, pág 58, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2011)








“A religião assumida pelo sábio não tem nome nem definição, não tem doutrina estabelecida nem crenças sedimentadas, não tem idolatria nem apologia. Estabelece-se constantemente em sua consciência e renova-se a cada momentum presente, acompanhando o movimento intermitente dos astros e da sua respiração. É um estado de constante fé e entrega à impermanência da Fonte. É autêntica presença espontânea na consciência do Todo [...] Não devemos rejeitar nenhuma forma de religião externa criada pelos homens. Há um propósito superior para seitas, igrejas, cultos e instituições organizadas. Apesar dos desvios dos ensinamentos e das práticas de vários grandes mestres, as religiões ainda trazem algum benefício para esta humanidade. A devoção é virtude. Não devemos excluir nenhuma experiência humana de busca. Tal ato confirma uma consciência imatura de separatividade. Com sabedoria e elevação do ser humano, brota em sua consciência interna a verdadeira religião. A compreensão de sua expressão oriunda da Fonte criadora e mantenedora da existência. Há uma unidade que permeia tudo [...] Hinduismo, Budismo, Cristianismo, Judaísmo, Xamanismo, Teosofia, Islamismo... podem ser vistos como caminhos separados, mas não os são. Todos eles são trilhas que levam a um mesmo ponto do caminho: tornar o homem um ser divino, uno. A separatividade se dissolve quando o homem alcança esta compreensão [...] Para uma consciência humana mais atualizada, pode ser mais confortável se utilizar a palavra Fonte ao invés de Deus. A palavra Deus pode arremeter a uma percepção coletiva masculina, positiva, externa e em separação da consciência humana. Por sua vez, Fonte desencadeia uma percepção mais neutra, geradora e mantenedora constante das realidades da vida. Atualmente, a palavra Deus desperta um apelo coletivo religioso, devocional e emotivo muito forte, tendo sido mitigado há milênios pela humanidade terrena desgastantemente. A Fonte destitui padrões incorporados pelo subconsciente humano, dentro das suas inúmeras experiências Históricas vivenciadas pela esfera planetária da Terra a respeito e em torno da palavra Deus. Introduz também uma opção de abordagem diferente para a observação da consciência holística [...] A idolatria e o fanatismo religioso é uma das expressões do excesso humano. Qualquer excesso em qualquer área da ação humana promove desequilíbrios. O atual desequilíbrio sensível na humanidade da Terra é consequência de séculos de ignorância. O amor sabedoria é o fiel da balança do equilíbrio [...] As diversas religiões instituídas pelos homens, na Terra, são necessidades evolutivas enquanto encaminham o homem à sua divindade espiritual, e são involutivas enquanto se fecham em crenças e dogmas cristalizados que as fazem permanecerem separadas umas das outras. Enfim, todas as religiões originadas na Terra são elementos transitórios rumo à evolução cósmica da consciência una do ser maior, a Fonte [...] Em breve, todas as religiões conhecidas pela humanidade sucumbirão, paulatinamente, em decorrência de uma necessidade cósmica que urge para a Terra. Brotará do seio da consciência coletiva humana uma percepção de unidade com o todo, que transcenderá a atual condição religiosa separatista ainda em vigor. Uma desidentificação com os aspectos religiosos atuais emergirá. Todos perceberão a comunhão que sempre houve entre os ensinamentos de Jesus, Gautama, Moisés, Maomé, Apolônio de Tiana, Abraão, Krishna, Sathya Sai, Lao Tsé, Babaji, Maytrea, Yogananda, Pitágoras e tantos outros mestres de vida. O homem terreno perceberá a não necessidade de se prender, especificamente, a alguma religião determinada. Novas necessidades surgirão para a transcendência da atual raça humana. A nova religião não precisará de um nome, de uma definição, de cultos determinados, de crenças, de doutrinas, nem de um único mestre idolatrado. Será vivenciada diretamente pela consciência humana internamente desperta e dirigida ao cumprimento das virtudes cardinais rumo à perfeição. Um tempo de grande lucidez espiritual e abertura para as energias emanadas pela Fonte.” (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)









“Sem desmerecimento algum, as religiões desempenham um pa­pel importante na formação da consciência humana como um todo. Elas estimulam, através de ensinamentos, a prática das virtudes e a busca do amor. Unem multidões para fins nobres e propagam a vida baseada em suas crenças. Há um ‘porém’ limitante dentro das diversas propos­tas religiosas; há um momento na evolução da consciência de qualquer ser humano terreno que, independente de qual religião siga ou crença acredite, ela necessitará de uma luz maior de experiências que nenhuma religião estabelecida pode lhe oferecer ou sustentar. A sua consciência sobre a vida holística passa a ser maior que as limitações inerentes de qualquer religião. Tais seres são reconhecidos, por vezes, como santos ou iluminados, chegando até mesmo a serem perseguidos pelas suas próprias instituições religiosas assumidas, em estágios anteriores de suas consciências. Assim aconteceu com São Francisco, Madre Teresa de Calcutá, São João da Cruz e Padre Pio, por exemplo.” (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, pág 64)




O VALOR das DIFERENTES OBRAS ESPIRITUAIS
e da EXPERIÊNCIA DIRETA
(TRIGUEIRINHO)



“Será que já podemos ir além da limitada visão que algumas religiões externas nos propõem sobre as realidades dimensionais deste nosso planeta Terra? Será que poderíamos aceitar que seres espirituais que tiveram encarnações materiais pretéritas importantes dentro de algumas religiões, hoje estão servindo coletivamente nos planos imateriais da Terra, direcionando-a aos desígnios da Confederação Intergaláctica? Santos como São Francisco e Padre Pio, assim como os Papas João XXIII e João Paulo II, hoje são missionários imateriais revelados para a humanidade como servidores de um Plano Evolutivo Cósmico, que está alinhando a Terra neste sistema solar e, consequentemente, harmonizando-a ao Amor Sabedoria que vem da Estrela de Sírius. Será que já podemos nos permitir sermos uma humanidade cósmica? Seguindo nesta premissa, outros seres importantes cultuados dentro de algumas religiões terrenas como Jesus, Gautama, Maomé, Moisés e Abraão, por exemplo, também foram agentes dos Centros Planetários da Terra na missão coletiva de divinização deste planeta e a sua integração aos desígnios da Confederação Intergaláctica.”  (Horácio Netho)







“A prática da meditação não parte da premissa de destituir ou fortalecer nenhuma crença religiosa, sistema doutrinário, instituição cultualista ou dogmas espirituais. Estes eventos podem ocorrer naturalmente e ocasionalmente, mas não necessariamente, dentro da experiência pessoal de cada praticante e de acordo com a necessidade da sua alma. É, portanto, a própria consciência superior do ser que estabelece os caminhos mais adequados aos quais a experiência pessoal deva seguir através do estado meditativo [...] O sábio transmigra o seu processo de divinização individual do espaço público, aberto e externo pregado pelos ensinamentos das diversas religiões para o âmbito da sua intimidade, pessoal e interna. Vivencia a experiência direta da divinização na sua consciência, misticamente, através da abertura dos seus canais de luz. Assim, interliga as realidades [...] Importantes canais humanos que serviram dentro do Kardecismo, da Teosofia, da Fraternidade Branca e de outras religiões vêem sendo avisados que haverá um momento para reformulações e atualizações das doutrinas. É chegado o momento. A ação da Confederação Intergaláctica já se faz presente, viva e abertamente na sociedade humana. O que antes era secreto e esotérico, agora, está exposto livremente em livrarias, sites e outros meios de comunicação. Nomes como Sananda, Antuak, Kuthumi, Ashtar Sheran, Kumara, Kryon, Shamballa, Miz Tli Tlan e Erks ganham força e se tornam populares. A visão terrena de uma vida limitadamente planetária e física já se eleva para uma dimensão cósmica. A Terra está se interligando à Federação de Sírius e tornando-se um planeta sagrado. A consumação deste evento logo se dará [...] Um investigador dedicado aos mistérios do autoconhecimento deve transitar por temas como: escritos sagrados das religiões (Alcorão, Bíblia, Vedas, Tao Te King, Sutras, Torá, etc.), anatomia oculta (aura e chacras, árvore cabalística da vida, raios, etc.), filosofia, astrologia, cosmologia, numerologia, oráculos, etc. [...] Muitos seres humanos ainda se sentem desconfortáveis ao se envolverem com temas espirituais e religiosos. Envolvem-se com os temas através de suas mentes condicionadas e de seus sistemas de crenças desatualizados. Acabam entrando em choque e caindo no campo das discussões e confrontos puramente doutrinários. É que a humanidade terrena, como um todo, ainda se encontra em separatividade, não conseguindo perceber a necessidade atual das diferentes crenças e dos diferentes caminhos religiosos. Em breve, este desconforto desaparecerá naturalmente. Uma luz maior iluminará a consciência coletiva desta humanidade. Aqueles que permanecerem na Terra terão resgatadas as suas conexões internas com as suas essências espirituais, para além das motivações religiosas terrestres [...] O planeta Terra já serviu de palco para a evolução de várias raças humanas para o Cosmos. Daqui partiram várias humanidades que, após cumprirem os seus estágios terrestres, se encontram atualmente espalhadas pelo Cosmos em elevados níveis de consciência. Civilizações de Avatares já se formaram, na Terra. Desta forma, a Terra tem o potencial e o ‘direito superior’ de acolher e formar Avatares para o desenvolvimento dos reinos Cósmicos. Seres como Krishna, Babaji, Maytrea, Gautama, Yogananda, Sathya Sai Baba, Saint. Germain, Apolônio de Tiana e Ramakrishna são exemplos de consciências avatáricas conhecidas por esta humanidade, que exemplificam o potencial divino humano, apontando o caminho a ser trilhado por todos nós.”  (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)








“Sendo a investigação uma sabedoria indicada pela própria Hierarquia Espiritual como uma prática fundamental para compreendermos melhor a vida, vários Mestres de Sabedoria nos deixaram acervos dispostos atemporalmente pela História da nossa civilização. Etimologicamente, a “investigação” nos conclama a observar os elementos da vida, não somente sob o aspecto das apresentações externas, através de pesquisas e estudos, mas principalmente sob a percepção interna e sutil de nossas intuições. Portanto, qualquer foco “investigado” por um ser humano em sua vida externa deveria receber também uma observação silenciosa e intuitiva da sabedoria interna deste mesmo ser, pois em essência tudo o que é mais real só pode ser reconhecido pelas vias internas de nossas próprias consciências. E é nesta direção que conseguimos ver a sincronia e a unidade das diversas Instruções Espirituais que nos encaminham para as realidades celestiais. O ensinamento que é verdadeiro e transcendental para um ser humano toca dois pontos diferentes da sua consciência. Primeiro, oferece um conhecimento renovador e elevado, tornando-o mais preparado para a sabedoria. Depois, o faz recuar e silenciar profundamente diante o reconhecimento humilde da sua própria ignorância sobre o amor. As Instruções Espirituais preparam a mente humana para acolher as verdades evolutivas necessárias para uma compreensão adequada da “Rede Hierárquica da Terra”. Como são diversos os níveis de consciências que um ser humano pode manifestar, diversos também são os níveis de instruções que sustentam e nutrem as experiências humanas. Níveis diferentes de consciências humanas necessitam de instruções diferentes, onde estas instruções de níveis diferentes podem até mesmo serem contraditórias entre si, apenas em uma observação puramente didática. Ou seja, o que as instruções sugerem para uma determinada etapa da experiência humana pode ser considerado indesejável para uma outra etapa e vice-versa. Mais diretamente e como exemplo, instruções que tratam das disciplinas do EGO nem sempre são coerentes com as instruções para um ser humano que já se reconhece como ALMA. Da mesma forma, as instruções para uma ALMA terrestre nem sempre são afins com as instruções para um ser que já desenvolve o seu ESPÍRITO ou AVATAR. A primeira investigação que um caminhante da “Senda Espiritual” deve realizar é sobre si mesmo. É a partir de um autoconhecimento disciplinado que este ser vai expandindo a sua compreensão sobre as realidades à sua volta. Uma das descobertas que este ser vai acessar, é aquela que revela a proteção que as “Instruções Sagradas” trazem para a vida humana. O simples fato de estarmos em contato com as “Instruções Sagradas” buscando compreendê-las, faz com que energias celestiais de apoio sejam atraídas e projetadas sobre nós. Estas energias ficam recolhidas, normalmente inconscientes e ocultas, aguardando que nós assumamos as próprias instruções como verdades para as nossas vidas e, então, possam elas se revelarem diretamente para as nossas consciências. Inúmeros livros categorizados como ‘sagrados’ foram expostos para a vida humana oferecendo apoio às disciplinas necessárias e inspirando o caminho que os aspirantes espirituais devem seguir. O simples contato com estas obras e a dedicação para a compreensão de suas instruções, geram uma ação inteligente para a vida que impulsiona uma realidade de apoio e observância sobre aquele que aspira o sagrado. Desta forma, podemos afirmar que o contato com as instruções sagradas, independente de sua origem e linha de apresentação, faz com que uma proteção especial superior seja projetada sob o indivíduo que intenta seguir nesta senda.”   (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, TemasTranscendentais”, págs 38 a 40)




BUDA e CRISTO
CONSCIÊNCIA e ECUMENISMO
(PADMA SAMTEN e JEAN-YVES LELOUP)




“A autêntica instrução espiritual nunca tentará impor a sua verdade. Nunca tentará alterar a crença pessoal de um ser humano inadvertidamente. Abordará a consciência humana de forma sutil, respeitando seus limites. Trará a luz maior do conhecimento superior com a intenção de posicionar a sua essência, a partir de onde ela se encontra em referência à necessidade evolutiva da Terra para o Cosmos. Estimulará o autoconhecimento humano e a sabedoria de caminhar-se por si próprio, em liberdade e ao mesmo tempo conectado com a essência mais interna e profunda de Deus no próprio homem [...] Muitos seres humanos ainda não possuem uma capacidade intelectual para assimilar os ensinamentos dos grandes mestres. São incapazes sequer de compreender os ensinamentos de um único mestre, quanto mais de reunir e sintetizar os ensinamentos gerais daqueles grandes mestres que lhes são disponíveis. Mais ainda, não conseguem transferir da mente intelectiva para o plano abstrato a verdadeira essência a que se destinam os ensinamentos espirituais. É que seus tempos ainda estão por vir [...] Um grande mestre resguarda parte dos seus ensinamentos ocultamente e em silêncio. Reserva-os somente para alguns escolhidos e em momentos adequados. Sabe que o caminho requer busca, perseverança, investigação, devoção, mérito e iniciação por parte do peregrino espiritual. O desvelar de um mistério ganha mais força, importância e poder quando exige algum esforço por parte do buscador. De outra forma, não receberia a devida atenção por uma consciência acomodada, preguiçosa e que recebe tudo fortuitamente em suas mãos [...] Muitas mensagens espirituais e filosóficas de hoje são ensinamentos reciclados e reutilizados oriundos de tempos pretéritos, que buscam a mesma intenção sob uma nova roupagem atualizada. É necessário um discernimento apurado para distinguir entre os novos ensinamentos para estes tempos e os antigos ensinamentos recondicionados [...] Dois ensinamentos de um mesmo mestre podem parecer contraditórios e paradoxais. É que há uma relatividade para as diferentes realidades dos ensinamentos. Nem sempre sabemos qual o alcance que o mestre dá à dimensão do seu ensinamento momentâneo e a quem ele está verdadeiramente servindo [...] O mestre que hoje lhe ensina, amanhã, poderá aprender com você. É preciso respeito e sabedoria diante dos dois vetores do aprendizado [...] Os livros são veículos que transitam com a energia das palavras. São benéficos, trazendo inúmeros ensinamentos evolutivos. Devem ser descartados para o conhecimento direto.”  (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)




A LUZ do CONHECIMENTO,
e da EXPERIÊNCIA MÍSTICA c\ a UNIDADE
(ALTAIR GARCIA)



“Dentro do desenvolvimento desta raça humana planetária, vá­rios ensinamentos evolutivos foram sendo posicionados, estrutura­dos e compilados dando origem a inúmeras teorias que sustentaram um acervo elevado de práticas evolutivas, principalmente através dos caminhos religiosos e filosóficos. Na época de Jesus, estes conheci­mentos aglomeravam-se nas denominadas escrituras. Sabe-se que o conhecimento teórico dos ensinamentos evolutivos é básico para um direcionamento mais adequado às práticas nesta direção. Atualmente, estes ensinamentos instrutivos estão se dispondo por várias ‘mídias’, já utilizando um termo do upgrade evolutivo da era de aquário. O Coiote nos lembra que, com o início da entrada das energias cósmi­cas de aquário, inúmeras tecnologias como a imprensa, a transmissão de imagens (TV, Cine, Foto, etc.), a aviação e a cibernética (computado­res e internet), por exemplos, foram introduzidas na Terra nos últimos anos acelerando os processos evolutivos individuais e coletivos desta humanidade. Todos estes elementos existenciais transitórios estão à disposição do mundo dos céus para a divulgação de suas ordens ins­trutivas para a Terra. As escrituras dos tempos de Jesus devem ficar no contexto do seu passado, sem desmerecer os seus valores e, cabe aos caminhantes da senda espiritual se atualizarem discriminando as no­vas formas de ‘Deus’ se comunicar, reconhecendo o atual propósito destas manifestações neste novo tempo.” (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos datransformação”, pág 226)








“Os conhecimentos atuais sobre as influências astrológicas zodiacais serão atualizados, em breve, assim como os conhecimentos espirituais transcendentais já os estão sendo. É que a Terra está sendo iniciada em uma nova consciência, abrindo portais para influências cósmicas que renovarão intensamente as perspectivas da vida planetária. A astrologia solar atual ganhará uma nova visão e expansão, devido às novas órbitas cósmicas e a uma nova percepção da engenharia sideral pelo homem [...] É de grande importância quem sejam os grandes mestres: Jesus, Gautama, Krishna, Yogananda, Lao Tsé, Pitágoras, Apolônio de Tiana, etc. São de grande importância as suas Histórias ou detalhes de suas personalidades. Merecem investigações. Porém, maior importância têm os seus ensinamentos em coerência para com as suas práticas imanentes [...] Ao acolher conhecimentos e ensinamentos sobre a trajetória do caminho espiritual, a mente humana tende a sentir-se incompetente e indisposta a percorrer este destino. Considera que se necessita de muitas regras, leis, condições ou subsídios para que a trilha seja galgada. Em verdade, a vida sempre foi regida por uma sutilidade e leveza indescritíveis, que a fazem ser simples e harmoniosa. A mente humana não deveria se preocupar com as suas limitações, que são inerentes da sua natureza. Mas sim, perceber que existem outras inúmeras consciências que compõem o seu EU holístico, competentes para assumir a caminhada, a partir do ponto que necessitar. Desapego e entrega [...] Há seres humanos que não precisam acessar informações evolutivas diretamente por meio de mestres encarnados, livros ou doutrinas instrutivas. São capacitados com um alto nível intuitivo que lhes permitem acompanharem a evolução simplesmente absorvendo em silêncio os impulsos que vêm da Fonte que sustenta a vida. Podem andar a sós, até um determinado ponto do caminho. Grandes iniciados [...] Nem todas as dádivas são para todos. Nem todos conhecerão os seus mestres internos. Nem todos compreenderão o vazio. Nem todos penetrarão a sabedoria do silêncio. Nem todos sentirão as presenças espirituais. Nem todos viverão a graça. Nem todos serão consagrados. Nem todos serão resgatados e ascensionados. Muito tempo foi perdido ante uma humanidade que não soube compreender os ensinamentos sagrados. Urge a necessidade cósmica da justiça divina e os autosselecionados despertam. A separação da luz e a colheita já acontecem. É chegado o tempo [...] No caminho da busca espiritual, o ser humano corre o risco de sobrecarregar-se com instruções e informações excessivas. É necessário ser seletivo, coerente e equilibrar as instruções com a vida prática imanente. O excesso de informações espirituais esnoba a simplicidade da vida. Um ser transcendente é, invariavelmente, um comedido e um sábio para a vida comum [...] Os que abrem verdadeiramente os seus corações ante as instruções inspiradas dos mundos superiores, podem ser tocados em profundidade, ocorrendo transformações sutis em suas sinapses nervosas, preparando-os para novas possibilidades.” (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)








Nenhum comentário:

Postar um comentário